25 de outubro: 10 anos da primeira partida full pads do Brasil

Nesta quinta-feira, 25 de outubro de 2018, a pedra fundamental do futebol americano no Brasil completa 10 anos. A primeira partida full pads, ou seja, com todos os equipamentos necessários para a prática de futebol americano, foi realizada, entre Barigui Crocodiles e Brown Spiders Futebol Americano, no campo do Flamenguinho, em Curitiba. 10 anos depois, muita coisa evoluiu, mas sempre vale lembrarmos onde tudo começou.

49aab286-fff2-4f40-9257-12369650abc9

Até 2008 o futebol americano era praticado sem nenhum equipamento, o que é conhecido como off pads. Mas, após algumas conversas, duas das principais equipes no País decidiram se unir para a compra do kit completo para todos os seus atletas. Mesmo que na época eles ainda não imaginassem, hoje temos a certeza que aquela ação foi a pedra fundamental para o esporte se estabelecer no nas terras tupiniquins.

Vicente Brasil, um dos fundadores do Crocodiles, que atuou como linebacker da equipe e foi presidente também da Federação Paranaense de Futebol Americano, nos contou um pouco mais sobre esse momento: “A última coisa que fizemos off pads foi um campeonato sul brasileiro que não terminou, por brigas com relação ao regulamento. Após o campeonato o BS afirmou que não jogaria mais sem ter os equipamentos. Aí eles conversaram conosco, pra saber se teríamos interesse em trazer junto. Nós aceitamos e nos unimos ao nosso adversário. É saudável ter essa parceria fora de campo, se não fosse isso dificilmente teríamos treinado tanto no período, ou teríamos conseguido trazer os equipamentos – com certeza ficaria mais caro para todos”.

“Na época, o material todo veio de navio”, continuou Vicente. “O material veio direto da Riddel. O Marcio, do Brown Spiders, tinha amigos nos Estados Unidos que fariam a compra e, depois, mandariam pra nós via container. O processo deu todo certo. Claro que o material era caro, ficou cerca de R$ 2.500,00 mas eu lembro que fizemos uma vaquinha pra que todos pudessem pagar”.

“Se não me engano, o carregamento levou mais de seis meses para chegar, então ficamos muito ansiosos. Nesse período, optamos por não fazer partidas, apenas alguns treinos coletivos com o BS. Então, quando chegaram os equipamentos, quem recebeu foi Ademir Junior, um dos fundadores do Croco. E a sala dele estava lotada de capacetes. Na hora eu até me emocionei, pois foi aquela coisa de conseguir fazer algo muito improvável, que a gente só via na TV”.

Com os equipamentos em posse das duas equipes, chegou o momento da grande partida entre Barigui Crocodiles e Brown Spiders. Uma parte dessa história você já viu, na conversa super bacana que tivemos com Adan Rodriguez, do Croco (relembre aqui).

Mas, um atleta do Brown Spiders foi responsável por outra marca histórica do futebol americano nacional: o primeiro touchdown anotado em uma partida full pads. O wide receiver #4 Maykel Bueno, que jogou no BS entre os anos de 2004 e 2014, anotou os primeiros seis pontos da história do esporte no Brasil.

E nós conversamos com Maykel, que nos contou como foi a jogada do touchdown. “Estávamos na redzone. Cheguei no huddle e pedi pro Maycon (então quarterback do BS) para que eu executasse a rota postcorner (nessa época não existia playbook). Após estar alinhado, lembro que na minha frente estava o Jean e eu sabia que a bola seria lançada pra mim. Logo quando saiu o snap, como era uma rota com dois movimentos, eu fui olhando para os pés dele. Quando fiz o primeiro corte fiquei esperando o momento de reação e, quando ele começou a rodar o corpo, fiz o segundo corte. A bola não veio numa espiral perfeita! Lembro que o meu intuito era só conseguir pegar a bola dentro de campo mas assim que recebi, percebi que consegui me manter em campo e já estava quase no pylon da endzone”, conta Maykel. Confira abaixo o link do primeiro touchdown da história dos confrontos full pads do Brasil.

Assim como Vicente, Maykel também ressalta a importância do Marcio Alves, do Brown Spiders, para que a partida fosse realizada. “Claro que foi legal a marca de ter feito o primeiro TD, mas acredito que o grande reconhecimento do que se tornou esse esporte no país deve ser dado para o Márcio Alves, que foi o cara que disse “agora só vamos jogar de pads”. Ele não trouxe pads somente pro BS, mas também para o Croco, Hurricanes e para o Timbó Rex”.

Pelo lado da defesa, nós também conversamos com o atleta responsável pela primeira interceptação da história do esporte no Brasil. Mateus Luz, linebacker do Brown Spiders que atua até hoje pela equipe, nos contou um pouco sobre a sua chegada no esporte: “Eu comecei a treinar em fevereiro de 2008, com o inicio das atividades do time no ano, e o que eu conhecia era só o que meu primos Rômulo Tuleski e Tiago Tuleski haviam me contado, já que eles começaram a treinar no finzinho de 2007.
Como todo magrelo faz, comecei a jogar de WR, mas no meu caso durou apenas um treino! No meu primeiro treino rolaram duas interceptações da defesa e eu dei meus dois primeiros tackles. Pronto, tudo estava desenhado. Na época o Doc, capitão da defesa, ficou brabo pra caramba por que tinha um rookie batendo em veterano, mas mesmo assim me convidou para chegar uma hora mais cedo no próximo treino, pois ele iria me ensinar a fazer backpedal. No nosso primeiro jogo eu estava bastante nervoso, afinal era minha estréia, mas no segundo drive se não me engano fiz minha primeira interceptação e, apartir disso, tudo ficou mais fácil! Joguei de cornerback até 2014, mas sempre fui um CB com porte pra improvisar de OLB! E conforme a idade foi pesando, virei safety e essa foi minha primeira temporada que joguei completa como LB”.

Se os atletas buscaram a profissionalização, outra parte fundamental para que as partidas ocorram com fluidez precisava acompanhar. E a arbitragem vem desde então conquistando mais conhecimento e também mais confiança dos atletas.

Um dos grandes representantes da arbitragem de futebol americano no País, Felipe Oliveira, falou também sobre como seu envolvimento no esporte nasceu naquele 25 de outubro de 2008: “Entrei em campo oficialmente em abril de 2009, no primeiro jogo do primeiro torneio de seleções, que foi também a primeira competição oficial full pads do Brasil. O jogo foi São Paulo 29 x 28 Rio de Janeiro. Mas, o primeiro jogo que eu fui acompanhar foi a partida entre Croco e BS, o primeiro full pads da história. E eu costumo falar que esta foi a única partida que eu fui pra campo como torcedor, sem estar envolvido com algo que não fosse com o jogo de fato. Então, há dez anos atrás, foi o primeiro e único jogo que vi como torcedor. De lá pra cá, sempre estive envolvido de alguma forma”.

Felipe continuou, comentando também sobre a evolução da arbitragem e quais seriam os próximos passos: “acho que as condições pra arbitragem melhoraram muito. Antes, usávamos equipes de quatro ou cinco árbitros. Hoje, estamos em sete, as vezes até oito. Além disso, antigamente usávamos carro particular para as viagens, ou íamos com as equipes. Atualmente isso não existe mais, sempre nos deslocamos em vans ou ônibus. Com relação a o que tem que evoluir, acho que são dois aspectos: primeiro, termos uma equipe de arbitragem coesa, com todos com o mesmo nível de conhecimento e maturidade; segundo, que é importantíssimo, uma única maneira de arbitrar em todo o país, pra não ouvirmos mais que temos interpretações diferentes em cada estado, o que dificulta as competições regionais ou nacionais”.

Hoje, o esporte está muito mais organizado, com diversas competições nacionais e regionais acontecendo ao longo do ano. Mas, relembrar as raízes é fundamental para entendermos a grande caminhada que tivemos até aqui no esporte. Exatamente sobre isso nos contou Valdomiro Junior, atual Diretor de Comunicação da Federação Paranaense de Futebol Americano: “O primeiro jogo Full Pads entre Curitiba Brown Spiders e Barigui Crocodiles foi de extrema importância para o crescimento do futebol americano no país. Além de unir dois grandes rivais para conseguir um bem comum, que foi trazer os shoulder pads e helmets para poderem jogar como nos Estados Unidos, o Paraná se tornou o berço do esporte no país. Devido à essa partida, foi montada a Federação Paranaense de Futebol Americano em 2009, visando organizar campeonatos, já que as demais equipes que jogavam sem equipamentos, correram atrás para dar esse passo importante que era se equipar. Somos extremamente orgulhosos por essas duas equipes terem dado o Kickoff para a modernização do esporte no país, tornando o Paraná O Estado do Futebol Americano, e por continuarem buscando sempre o melhor para nosso esporte”.

Após dez anos é possível enxergar algumas evoluções muito grandes no esporte. De elencos pequenos, com 30 atletas que tinham que atuar na defesa e ataque, para hoje equipes com muitas opções e possibilidades de viagens. Além disso, hoje temos uma quantidade enorme de equipes completamente equipadas, o que permite a organização de campeonatos de longo prazo, em diversos estados.

E daqui dez anos, quais serão as conquistas alcançadas?

(Fotos: Cortesia arquivo pessoal / Adan Rodriguez)

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Neimar Ruthes disse:

    Parabéns, a reportagem ficou linda, até me emocionei

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s