Para Coordenador de Defesa do Crocodiles, special teams e big plays foram pontos positivos na estreia

O Coritiba Crocodiles venceu o Brown Spiders no último sábado, em sua estreia na temporada 2019. Porém, apesar da vitória, a atuação teve como principais pontos negativos as faltas (11, com 71 jardas de penalização) e os turnovers (4). Para Gino Fellipe Santoro, Coordenador de Defesa do time, esses erros precisam ser trabalhados para que não sejam repetidos.

_Crocodiles
Coritiba Crocodiles venceu o Brown Spiders na tarde do último sábado (Foto: Vinícius Basso / Futebol Americano Paranaense)

Reveja aqui como foi a vitória do Crocodiles contra o Brown Spiders.

Foram três campanhas consecutivas, entre o final do primeiro quarto e o início do segundo, com turnovers do Croco, sendo duas interceptações e um fumble cometidos. Do outro lado o Brown Spiders não conseguiu aproveitar o momento do jogo e capitalizou apenas com um field goal (as outras duas campanhas terminaram em punt e FG bloqueado), mas, o prejuízo para o Croco poderia ter sido bem pior.

Para Gino Santoro, Coordenador de Defesa do time, esses erros precisam ser corrigidos para a sequência da temporada: “tivemos muitos erros básicos como faltas desnecessárias, drops, erros de comunicação, entre outros. Entendemos que foi o primeiro jogo e temos alguns novos atletas, mas não podemos achar desculpas para nossos erros e sim soluções. Já estamos nos preparando com relação a isso para a partida contra o Maringa Pyros  e temos certeza que erros que cometemos contra o BS não se repetirão”.

_Gino Santoro
Ao centro, Gino Santoro, Coordenador de Defesa do Crocodiles (Foto: Vinícius Basso / Futebol Americano Paranaense)

Gino falou também sobre o que pode ser feito para a redução destes erros: “Para diminuir as faltas temos que aumentar a disciplina e concentração, pois nossos atletas sabem o que é permitido e o que não é. Em relação aos turnovers, é difícil você trabalhar para que eles simplesmente não aconteçam. Mas devemos ter uma melhor tomada de decisão dos nossos quarterbacks e novamente trabalhar na disciplina, para que nossos running backs na hora do contato tenham as duas mãos na bola e os wide receivers tenham concentração na recepção, para não haver drops que, algumas vezes, acabam virando interceptações”.

Apesar de saber que não foi a melhor atuação da equipe, o Coordenador de Defesa destacou os principais pontos positivos que viu na partida: “Para o Coritiba Crocodiles o jogo foi mediano, mas sabemos que tivemos momentos bons, com algumas big plays. Como principais pontos positivos, vejo o nosso special team, que converteu um FG de 33 jardas e bloqueou um punt e um field goal. Além disso, ressalto um ótimo jogo do nosso atleta Athos”.

Veja aqui as estatísticas da partida entre Croco e BS, com destaque para o wide receiver #13 Athos Daniel Jr.

O Coritiba Crocodiles entra em campo novamente no dia 27 de abril, quando receberá o Maringá Pyros, pela última partida da temporada regular do Campeonato Paranaense 2019.

(Fotos: Vinícius Basso / Futebol Americano Paranaense)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s